Seguidores

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Décimo Quinto Desafio:Gente que Fez e que Faz Diferença

Madre Teresa de Calcutá

Agnes Gonxha Bojaxhiu, a futura madre Tereza, nasceu no dia 26 de agosto de 1910 em Skopje, Macedonia, de una familia de ogirem albaneza. O pai, respeitado homem de negócios, morreu quando ela tinha oitos anos, deixando a mãe de Agnes na condiçao de ter que abrir uma atividade de bordado e fazenda para poder manter a família. Depois de ter transcorrido a adolescencia impenhada fervorosamente nas atividades parroquiais, Agnes deixou a sua casa em setembro de 1928, entrando no convento de Loreto a Rathfarnam, (Dulim), Irlanda, onde foi acolhida como postulante no dia 12 de outubro e recebeu o nome de Tereza, como a sua padroeira, Santa Tereza de Lisieux.
Agnes foi enviada pela congregação de Loreto para a India e chegou em Calcutá no dia 6 de janeiro de 1929. Tendo apenas chegado lá, entrou no noviciado de Loreto, em Darjeerling. Fez a profissão perpétua come irmã de Loreto no dia 24 de maio de 1937, e daquele dia em diante foi chamada Madre tereza. Quando viveu em Calcutá durante os anos 1930-40, ensinou na escola secundária bengalese, Sta Mary.
No dia 10 de setembro de 1946, no trem que a conduzia de Calcutá para darjeeling, Madre Tereza recebeu aquilo que ela chamou “a chamada na chamada”, que teria feito nascer a família dos Missionários da Caridade, Irmãs, Irmãos, Padres e Colaboradores. O conteúdo desta inspiração é revelado no objetivo e na missão que ela teria dado ao seu novo Instituto: “Saciar a infinita sede de Jesus sobre a cruz de amor e pelas almas, trabalando para a salvação e para a santificação dos mais pobres entre os pobres”. No dia 7 de outubro de 1950, a nova congregação das Missionárias da Caridade foi instituida oficialmente como instituto religioso pela Arquidiocese de Calcutá.
Ao longo dos anos 50 e no inicio dos anos 60, Madre Tereza estendeu a opera das Missionárias da Caridade seja internamente dentro Calcutá, seja em toda a India. No dia 1 de fevereiro de 1965, Paulo VI concedeu à Congregação o “Decretum Laudis”, elevando-a a direito pontificio. A primeira casa de missão aberta fora de Calcuta foi em Cocorote, na Venezuela em 1965. A congregação se expandiu em toda a Europa (na periferia de Roma, a Torre Fiscale) e na Africa (em Tabora, em Tanzania) em 1968.
Do final dos anos 60 até 1980, as Missionárias da Caridade cresceram seja em número de casas de missão abertas em todo o mundo, seja no número dos seus membros. Madre Tereza abriu fundações na Australia, no Vizinho Oriente, na America do Norte, e o primerio noviciado fora de Calcutá em Londres. Em 1979 Madre Tereza recebeu o Premio Nobel pela Paz. No mesmo ano existiam já 158 casas de missão.
As Missionárias da Caridade chegaram aos países comunistas em 1979, abrindo uma fundação em Zagabria, na Croácia, e em 1980 em Berlim Este. Continuaram a estender a sua missão nos anos 80 e 90 abrindo casas em quase todos os países comunistas, incluindo 15 fundações na ex União Soviética. Não obstante os repetidos esforços, Madre Tereza não pode abrir nenhuma fundação na China.
Em outubro de 1985 Madre tereza falou no quadragésimo aniversário da Assembleia Geral das Nações Unidas. Na vigilia de Natal do mesmo ano, abriu em Nova York o “Dom de Amor”, a primeira casa para os doentes de AIDS. Nos anos seguintes, outras casa seguiram esta casa de acolhimento nos Estados Unidos e alhures, sempre especificadamente para doentes de AIDS.
No final dos anos 80 e durante os anos 90, não obstante os crescentes problemas de saúde, Madre tereza continuou a viajar pelo mundo para a profissão das noviças, para abrir novas casas de missão e para servir os pobres e aqueles que tinham sido atingidos por diversas calamidades. Foram fundadas novas comunidades na Africa do Sul, Albania, Cuba e Iraque, que estava dilacerado por causa da guerra. Em 1997 as irmãs eram cerca de 4000, presentes em 123 países do mundo nas mais ou menos 600 fundações.
Depois de ter viajado por todo o verão a Roma, New York e Washington, em condições de saúde delicadas, Madre Tereza voltou a Calcutá em 1997. Às 9:30 da noite do dia 05 de setembro de 1997, ela morreu na Casa Geral. O seu corpo foi transferido para a Igreja de São Tomas, adjacente ao Convento de Loreto, exatamente onde tinha chegado 69 anos antes. Centenas de milhões de pessoas de todas as classes sociais religiões, da India e do exterior lhe renderam homenagem. No dia 13 de setembro recebeu o funeral de Estado e o seu corpo foi conduzido em um longo cortejo através as estradas de Calcutá, sobre uma carreta de canhão que tinha trazido tambem os corpos de Mohandas Gandhi Jawaharlal Nehru. Chefes de nações, primeiros Ministros, Rainhas e enviados especiais chegaram para representar os países de todo o mundo.




Madre Teresa pra mim foi um exemplo de humildade,caridade ela nos deixou muito ensinamentos e tenho ela como uma das pessoas que fizeram a diferença lutou contra preconceitos achei incrível seus trabalhos,foi uma mulher de muita fé...

E hoje pra mim quem tem feito a diferença é este aqui:

Monsenhor Jonas Abib

No dia 3 de setembro de 1949, eu estava partindo para ingressar num Seminário Salesiano em Lavrinhas (SP). Estava inteiramente decidido, mas não foi fácil deixar a minha casa, meu pai, minha mãe, meu irmão e, principalmente, a primeira das minhas irmãs, que na época tinha apenas um ano de idade. Agradeço muito a Deus pelo meu ''sim'', um "sim" de menino. Naquela época, eu tinha apenas doze anos. O costume era ir para o seminário com essa idade. Pelo fato de ter ido tão novo é que consegui fazer tudo o que Deus quis na minha vida. Hoje posso afirmar com certeza: Foi o Senhor quem me chamou, quem me escolheu tão cedo. E, graças a Deus, eu aceitei.A partir desse "sim" – que foi mais iniciativa de Deus do que decisão minha – Deus realizou e está realizando muita coisa através de mim. Se eu não tivesse dado o meu "sim", com toda certeza, muita coisa não teria acontecido na minha vida e na vida de muita gente.É preciso reconhecer as consequências das nossas decisões. Se eu não tivesse dado o passo naquele momento, a Comunidade Canção Nova não existiria. O Senhor realiza grandes obras a partir de um simples "sim" que damos. Desde o dia em que entrei no seminário, a minha cama, que mamãe arrumou naquela manhã, ficou do mesmo jeito durante um ano inteiro, na expectativa de que eu voltasse.Ela não era contra a minha entrada para o seminário, mas queria que eu soubesse que eu tinha o meu lugar na minha casa. Várias vezes meus pais disseram que se eu quisesse voltar, havia um lugar para mim em casa. Mas eu tive a graça de ir em frente. Vários santos diziam e Dom Bosco repetiu: '
'Quando um filho 'deixa' a sua casa para seguir a sua vocação, Jesus vem e toma o lugar desse filho que 'deixou' a casa. E pelo fato de Jesus tomar o lugar desse filho que 'deixou' a casa, Ele mesmo fica em seu lugar''. Meu pai era muito bom, trabalhador, e extremamente honesto; temente a Deus, mas não era de ir à igreja. Quando fiz a primeira comunhão, minha mãe foi e meu pai não. Eu não estranhei porque, afinal das contas, ele não ia à igreja... Foi ele que me levou para o seminário. Viajamos o dia inteiro: saímos às cinco horas da manhã e fomos chegar à tarde em Lavrinhas, cidadezinha onde se achava o seminário salesiano. Ele ficou comigo o restante do dia e na manhã do dia seguinte, dia 4 de setembro, tivemos a Missa no seminário e meu pai participou. Havia um padre atendendo às confissões entre uma Missa e outra. Papai se confessou e na Celebração Eucarística seguinte, às 9 horas, meu pai comungou. À tarde, ele pegou o trem e voltou para São Paulo. A partir daquele dia, papai nunca mais faltou à Santa Missa, nunca mais deixou de comungar. A partir daí, era ele que puxava a família toda para a igreja. Tornou-se participante ativo. No bairro onde morávamos, meu pai, como pedreiro, ajudou a construir a igreja. Ele foi um fiel Congregado Mariano. Depois fundou a Conferência Vicentina no nosso bairro. Desde então dedicou-se inteiramente aos pobres atendidos pela Conferência. A dedicação que ele tinha pelos pobres era algo admirável. Ele realizou um trabalho lindo. Sempre muito fervoroso nas reuniões, fazia questão de ler o Evangelho, como fazem os vicentinos, depois o comentava com os confrades. Papai foi a vida inteira um vicentino convicto e militante. Tudo isso aconteceu porque tive a graça de deixar minha casa, minha família. Não foi fácil para mim e nem para eles. Mas sou testemunha de que Jesus veio e ocupou o meu lugar. Ele começou trazendo meu pai de volta para a Igreja. Um bom tempo depois do falecimento de meu pai, minha irmã me revelou um segredo de família, que eu também não conhecia e agora confidencio a você. ''Eu já era casada e mamãe me contou o seguinte: Minha filha, eu tenho quase certeza de que seu pai tem outra mulher. Já faz bastante tempo que eu ando notando: sempre que ameaça chuva, o seu pai pega a bicicleta e sai de casa. Pergunto para onde ele vai, o que vai fazer, e ele não me responde nada. Ele sai e fica horas fora de casa. Só depois que a chuva passa é que chega de volta sem nenhuma explicação. Muitas vezes chega até um pouco molhado da chuva que tomou. Já briguei com ele, já joguei na sua cara que sei que ele tem outra mulher, outra casa, outra família, mas ele dá um sorrisinho e não diz nada. Comece a observar e você verá que é verdade.''' Minha irmã não sabia nem o que falar e respondeu que iria observar, embora morasse um pouco distante da minha casa.Ela viu que realmente era do jeito que minha mãe falou. Elas só rezavam e entregavam a Deus. Mas a dúvida e o questionamento ficou... Papai teve problema de coração. Enfartou uma vez, mas aguentou firme porque era forte. Enfartou uma segunda vez e faleceu.
Na Missa de sétimo dia, a igreja estava repleta de pobres socorridos pelos vicentinos. Foi impressionante a quantidade de homens de mãos calejadas, como o meu pai na hora dos cumprimentos, depois da Missa eles diziam à minha mãe:
''Deus lhe pague pelo seu Sérgio. Foi ele que arrumou o telhado da minha casa. Ele ia fazer a visita vicentina e via que na minha casa tinha muita goteira. Ele prometeu que ia fazer o meu telhado. Quando ameaçava chover, ele chegava correndo de bicicleta para nos socorrer. Colocava plástico no telhado da minha casa para não gotejar tanto. Mas depois ele fez o telhado todo da minha casa''. Foram muitas pessoas que foram contando que meu pai é que havia consertado o telhado de sua casa. Minha mãe chorava muito, e ninguém sabia a causa. Era Deus revelando para ela o motivo das saídas do meu pai naqueles dias de chuva. Realmente ele tinha outra família: os pobres da Conferência Vicentina. Aquele homem que não ia à igreja, até minha ida ao seminário, viveu com perfeição aquela passagem do Evangelho: ''Quando fizeres a caridade, quando fizeres alguma coisa para alguém, que não saiba a tua mão direita o que fez a tua esquerda, e que não saiba a esquerda o que fez a direita'' (cf. Mt 6,3).Nós trazemos a graça da ressurreição para nossas famílias quando fazemos a vontade de Deus, por mais difícil que seja. Foi o que aconteceu comigo. Pela vocação, tive que ''deixar'' minha casa e Deus mudou tudo na minha família. Ele foi fiel!As vocações são diferentes: uns saem para seguir o chamado de Deus. Outros ficam para realizar a missão que Deus lhe confia. Minha vocação foi sair de casa para enfrentar o seminário e hoje ser padre. Mas, se a sua vocação é ficar na sua casa como pai e como mãe de família, você precisa realizá-la e bem. Saiba: a ressurreição virá à sua casa e as coisas serão transformadas, como aconteceu na minha casa. 
O Senhor cumpre Suas promessas. Agradeço por aquilo que Deus fez a partir do meu "sim". Seja fiel ao que Deus lhe pede, com certeza, Ele também será fiel.

Monsenhor Jonas Abib


Padre Jonas é uma pessoa de muita fé,faz parte da renovação carismática da nossa igreja onde sua missão é Evangelizar,falar de Deus...claro que tem outra pessoas mas hoje escolhi estas duas...espero que vcs gostem

Elizandra

Faça parte tbm do desafio do blogueiras unidas!!!





8 comentários:

Blogueira Unidas - Oficial disse...

Oi amiga querida!

Parabéns pelas MARAVILHOSAS escolhas!

Obrigada por participar de nosso desafio!
Beijocas!

vidaslife disse...

Parabéns pelo post, escolhas muito ricas estas que você fez. Beijinhos carinhosos querida tenha um lindo final de semana .Estou te seguindo adorei seu blog.
http:vidaslife-vidaslife.blogspot.com

brasileirasimsenhor disse...

Olá querida adorei as suas escolhas. Muito linda a história do Monsenhor. Me emocionei !! Parabéns. Super bjs, Elo

* Nanda * disse...

com certeza
lindo final de semana
bjs

Nane disse...

Cada blog que visito neste desafio traz informações novas. Muito rica sua postagem, Parabéns!

Ju disse...

Oi, Elizandra
Primeira vez por aqui...
Madre Tereza de Calcutá realmente foi um exemplo de pessoas que fizeram a diferença. Gostei.
Bj
Ju

marcia disse...

Elizandra amada de Deus,
Amei sua participação do desafio da BU, ótima escolha parabéns!

ஜ♥Patricia♥ஜ disse...

Parabéns postagem nota 10.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...